O riso na minha vida

Hoje é o dia internacional do riso e isso fez-me pensar como o riso é tão importante na nossa vida. O riso é um gatilho impressionante para mudar o nosso estado de espírito.

Depois lembrei-me de algo que pensei há pouco tempo sobre este tema. O facto de a minha viagem ter tornado o meu 2018 um ano absolutamente incrível e feliz, mas em como neste ano ri tão pouco. Acho que talvez conte pelos dedos de uma mão as vezes que ri mesmo daquele rir com vontade, aquele rir que vem mesmo de dentro de nós.

Não que eu seja uma pessoa com tendência para o riso, é verdade que não sou. Mas neste ano senti realmente falta de rir mais. E isto fez-me questionar qual o motivo pelo qual ri pouco, ou ri menos do que o habitual. Muito simples, geralmente o que nos faz rir parte da interação com o outro. E, durante a viagem sozinha, nunca senti vontade de interagir com os outros em contexto de diversão. Estava tão focada em mim, que sempre que interagi com os outros foi num ambiente muito mais “intelectual” do que de diversão. Tive boas conversas, mas não me lembro que me tenha rido em interação direta com o outro. Incrivelmente, as vezes que ri profundamente foram a ouvir voice messages ou a ver vídeos no youtube. Engraçado isto, situações que dependeram do outro, mas que não tiveram interação direta.

Depois, no meu último mês de viagem, quando passei a ter a companhia de uma grande amiga minha e quando estive no curso de coaching, os meus níveis de riso dispararam. Lá está, interação com o outro. Lembro-me de, durante o curso, um colega meu ter dito uma coisa que meteu a turma toda a rir à gargalhada. Ri tanto que até chorei. Tão bom que foi. O riso relaxa, parece que quando acabamos de dar umas boas gargalhadas nos sai um peso de cima, ficamos mais leves e arrisco-me a dizer que nesse momento somos um bocadinho melhores pessoas.

Mas o riso é também uma arma. Costumamos olhar para o riso como algo bom, algo positivo, mas quantas vezes o riso não se deve à ridicularização do outro. E quantas vezes não vos aconteceu já ofenderem alguém por estarem a rir, sem se quer ser um rir por maldade? Eu não posso deixar de me lembrar a única vez que fui expulsa de uma aula. Estava no mestrado e tinha 27 anos e foi a coisa mais ridícula que me aconteceu. Fui expulsa de uma aula porque estava a rir de uma idiotice e simplesmente não conseguia parar de rir. Nesse dia, apesar de todos os seus efeitos benéficos, o meu riso foi uma arma contra mim mesma.

No entanto, acho que o riso utilizado como forma de expressão positiva é tudo de bom e pode melhorar em muito a nossa energia e até mesmo a nossa saúde. E, por isso mesmo, neste ano quero trazer muito mais riso para a minha vida.

Que 2019 seja um ano de muitas gargalhadas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *