Semana de alinhamento

Desde que me lembro que sempre fui uma pessoa muito focada em mim mesma e na minha evolução. E, talvez por isso, desde cedo que há certas alturas da minha vida que preciso parar para refletir e organizar a minha vida. Acho que desde que comecei a trabalhar que quase todos os anos tirava uma semana de férias exatamente com este objetivo. Uma semana para resolver assuntos, fechar gavetas, perceber como me sentia, para onde queria ir e delinear próximos passos com mais clareza e organização mental.

Nos últimos tempos não me tenho sentido muito bem. Comecei a sentir-me desalinhada, deprimida, desmotivada e com uma confusão mental gigante. Não consegui identificar qual a origem do desequilíbrio e isso para mim ainda agravou mais a situação. Não me sentir bem e não perceber o porquê deixa-me ainda pior.

Comecei a colocar tudo em cima da mesa, a questionar tudo. A questionar as minhas certezas que já não eram certas. E passei duas semanas a viver a pequenos balões de oxigénio. Agarrava-me a momentos efémeros de motivação para conseguir fazer alguma coisa. Até que chegou o momento em que não deu mais para achar que isto ia passar por si só.

Percebi que apesar de não estar a trabalhar para outrem e poder gerir os meus dias como quero, estava a precisar de voltar a ter uma semana de alinhamento. Uma semana para arrumar as ideias e tudo o que tenho entre mãos. Uma semana que me trouxesse novamente clareza e me tirasse este assoberbamento de dentro de mim.

Foi isso que fiz. Na semana passada, cliquei no pause e comecei por anotar tudo aquilo que me estava a drenar energia. Tomei decisões em relação a tudo, mesmo que essas decisões tenham sido adiar a decisão para uma fase onde já tenha mais capacidade de pensar sobre o assunto. Despachei temas que me andam a pesar de maneira a ficar livre deles nas próximas semanas. Olhei para mim, olhei para as razões que me trouxeram para este caminho e fiz mais umas quantas descobertas sobre mim mesma. Revi planos, adaptei e tentei garantir que estou a caminhar em sintonia com quem sou.

O meu objetivo foi sobretudo trazer mais leveza à minha mente, dar espaço para a criatividade entrar e voltar a sentir a motivação nas minhas veias. Preciso tanto dela como do ar que respiro. Sei que não posso deixar-me cair na minha apatia. A transformação que me trouxe até aqui ensinou-me a levantar-me mais rápido, a correr atrás do trilho certo. É só seguir os cabos da luz, como no trekking de Tioman, mesmo que por vezes eles se escondam por baixo das árvores que a tempestade fez cair. Mas estão lá, é só desafiar-me a procurar melhor e rapidamente tudo se torna mais fácil.

A vida é feita destes altos e baixos. O auto-conhecimento e o desenvolvimento pessoal não nos impedem de ter momentos mais negros, apenas nos ajudam a lidar melhor com eles. Quando estou assim, ter a minha semana de alinhamento é realmente uma boa ajuda. Se achares que te faz sentido, experimenta criares a tua e percebe se funciona também para ti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *